Cantinho do ensino Superior

Maio 14 2009

publicado por preuniversitarios às 18:12

Maio 14 2009

         “O NARIC (…)é o centro nacional de informação especialmente vocacionado para dar resposta a questões sobre reconhecimento de diplomas, certificados e títulos estrangeiros. Este centro integra a  Rede ENIC/NARIC constituída pelos centros de informação dos Estados-membros da União Europeia e pelos centros congéneres dos países membros do Conselho da Europa e da UNESCO. O NARIC português foi criado em 1986, na sequência da adesão de Portugal às Comunidades Europeias, estando integrado na Direcção – Geral do Ensino Superior. O NARIC presta informação aos estabelecimentos de ensino superior; a organizações nacionais e internacionais e a estudantes, diplomados e profissionais quer estrangeiros quer nacionais.

Podem ser solicitadas informações sobre: a equivalência ou reconhecimento 
académico de habilitações superiores estrangeiras; o prosseguimento de estudos em instituições de ensino superior nacionais e estrangeiras; o nível de formações  estrangeiras para efeitos de equivalência/reconhecimento ou prosseguimento de estudos; legislação nacional e comunitária em vigor no âmbito do reconhecimento académico e/ou profissional.
           
            O NARIC ainda promove e acompanha a aplicação da Convenção Conjunta do Conselho da Europa/UNESCO em matéria de reconhecimento académico de qualificações de nível superior da Região Europa (Convenção de Lisboa); emite declarações comprovativas do nível de formações obtidas no estrangeiro; coordena as actividades das autoridades competentes a nível nacional e  assegurar a disseminação  de informação relevante nesta matéria, designadamente a lista  das profissões regulamentadas nos diversos Estados -membros da EU.

http://www.dges.mctes.pt/DGES/pt/Reconhecimento/NARICENIC/NARIC/O+que+é/

publicado por preuniversitarios às 17:56

Maio 14 2009

 

O Programa Erasmus é o programa sectorial relativo ao Ensino Superior do Programa Aprendizagem ao Longo da Vida, da Direcção-Geral de Educação, Formação e Juventude da Comissão Europeia.
O Ensino Superior desempenha um papel crucial na formação de recursos humanos de alta qualidade, disseminando as descobertas científicas e o conhecimento avançado através do ensino, adaptando-se às constantes necessidades emergentes na aquisição de novas competências e qualificações, e educando gerações futuras de cidadãos num contexto Europeu.
O programa Erasmus procura dar ênfase à qualidade e reforçar a dimensão Europeia do Ensino Superior, promovendo a cooperação transnacional entre as universidades, fomentando a mobilidade europeia e incentivando a transparência e o total reconhecimento académico dos estudos e das qualificações em toda a União Europeia.
 
Objectivos
O Programa Erasmus tem como objectivo geral apoiar a criação de um Espaço Europeu de Ensino Superior e reforçar o contributo do ensino superior e do ensino profissional avançado no processo de inovação a nível Europeu.
O Programa possui um conjunto de medidas concebidas para:
  1. Contribuir para o desenvolvimento de uma aprendizagem de qualidade ao longo da vida e das possibilidades por ela conferidas;
  2. Reforçar a realização pessoal, a coesão social, a cidadania activa e a cidadania europeia;
  3. Promover a criatividade, a competitividade e a empregabilidade;
  4. Aumentar a participação na aprendizagem ao longo da vida;
  5. Promover a aprendizagem e a diversidade das línguas;
  6. Explorar os resultados, os produtos e os processos inovadores.
 
Países Participantes:
O Programa Erasmus está aberto à participação de 31 países:
·         os 27 Estados-Membros da União Europeia;
·         os 3 Países do Espaço Económico Europeu (Islândia, Liechtenstein e Noruega);
·         a Turquia.
 
Quem pode candidatar-se?
  1. Estudantes e formandos do ensino superior;
  2. Estabelecimentos de Ensino Superior; Professores, formandos e outro pessoal do ensino superior;
  3. Associações e representantes das partes envolvidas no ensino superior;
  4. Empresas, parceiros sociais e outros representantes do mundo laboral;
  5. Organismos públicos e privados responsáveis pela organização e oferta de educação e formação profissional a nível local, regional e nacional;
  6. Centros e organismos de investigação ligados à aprendizagem ao longo da vida;
  7. Organismos que prestem serviços de orientação, aconselhamento e informação, relacionados com a aprendizagem ao longo da vida;
O Erasmus está também aberto a estudantes e professores provenientes de outros países que sejam oficialmente reconhecidos por um Estado-Membro como refugiados, apátridas ou residentes permanentes.
 
Duração: O Programa Aprendizagem ao Longo da Vida teve início no dia 01 de Janeiro de 2007 e termina a 31 de Dezembro de 2013.
 
http://www.unl.pt/erasmus/o-que-e-o-programa-erasmus
publicado por preuniversitarios às 17:46

Maio 14 2009

 

Os Cursos de Especialização Tecnológica (CET) são formações pós-secundárias não superiores, que visam conferir qualificação profissional de nível 4, com a duração aproximada de um ano (entre as 1200 horas e as 1560 horas).
A qualificação de nível 4 obtém-se através da conjugação de uma formação secundária, geral ou profissional, com uma formação técnica pós-secundária, e caracteriza-se por:
  • Corresponder a uma formação técnica pós-secundária de alto nível;
  • A qualificação proporcionada inclui conhecimentos e capacidades que pertencem ao nível superior;
  • Não exigir, em geral, o domínio dos fundamentos científicos das diferentes áreas em causa;
  • Adquirir capacidades e conhecimentos que permitem, através deles, assumir de forma geralmente autónoma ou de forma independente, responsabilidades de concepção e/ou de direcção e/ou de gestão.
O plano de formação de um CET integra três componentes de formação:
Componente de formação geral e científica
Objectivos:
  • Desenvolver atitudes e comportamentos adequados a profissionais com elevado nível de qualificação profissional e adaptabilidade ao mundo do trabalho e da empresa;
  • Aperfeiçoar, onde tal se revele indispensável, o conhecimento dos domínios de natureza científica que fundamentam as tecnologias próprias da área de formação.
Componente de formação tecnológica
Objectivos:
  • Compreender as actividades práticas relacionadas com os domínios de natureza tecnológica;
  • Resolver problemas do âmbito do exercício profissional.
Componente de formação em contexto de trabalho
Objectivos:
  • Aplicar conhecimentos e saberes adquiridos às actividades práticas do respectivo perfil profissional;
  • Executar actividades sob orientação, utilizando as técnicas, os equipamentos e os materiais que se interagem nos processos de produção de bens ou de prestação de serviços.
 
A conclusão de um curso de especialização tecnológica confere um diploma de especialização tecnológica (DET) e qualificação profissional de nível 4, podendo ainda dar acesso a um certificado de aptidão profissional (CAP).

Podem candidatar-se à inscrição num CET :

-os titulares de um curso de ensino secundário ou habilitação legalmente equivalente;

-os que tendo obtido aprovação em todas as disciplinas dos 10º e 11º anos e tendo estado inscritos no 12º ano de um curso de ensino secundário ou de habilitação legalmente equivalente não o tenham concluído;

-os titulares de uma qualificação profissional de nível 3;

- os titulares de um diploma de especialização tecnológica ou de um grau ou diploma de ensino superior que pretendam uma requalificação profissional.
 
Aprovação de um CET confere um diploma de especialização tecnológica (DET). Este diploma dá acesso a um Certificado de Aptidão Profissional, emitido no âmbito do Sistema Nacional de Certificação Profissional.
Fontes:
http://www.enta.pt/cets.php
 
http://www.min-edu.pt/outerFrame.jsp?link=http://www.gepe.min-edu.pt/np3/9.html
 
 
http://portal.iefp.pt/portal/page?_pageid=177,154989&_dad=gov_portal_iefp&_schema=GOV_PORTAL_IEFP
publicado por preuniversitarios às 17:36

mais sobre mim
Maio 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

11
12
13
15
16

17
18
19
20
21

27
29
30



pesquisar
 
subscrever feeds
blogs SAPO